segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

PARA OS DESESPERANÇADOS, HÁ ESPERANÇA.

O clamor de todas as coisas corrompidas:

"Por que nos fizestes assim?
Carregar a angústia da vida;
Por que não amais a nós?"
Tão destruídas que Deus chora -
Boas apenas para refugo.

O clamor de cada coração partido:
"Por que nascemos para isso?
A nós coube apenas o mal.
Nenhuma benção da terra.
Por que fizestes que nascêssemos
Se não conhecemos nenhum amor sobre a terra?"

O clamor de cada mente desesperançada
Ascende diante do trono amor:
"olhai-nos, Deus! Ou estais cego?
A culpa é só nossa?
Se estais aí, respondei-nos,
Por que nos fizestes? Ou por que nos fizestes assim?"

E A VOZ DO AMOR RESPONDE DA CRUZ:
"Carrego tudo contigo;
Compartilho todas as as tuas perdas,
Transformarei todas as cosias em novas.
Ninguém sofre sozinho em seu pecado,
Eu fiz - eu carrego - eu expio".

Hannah Hurnard

2 comentários:

  1. Ao passar pela net encontrei seu blog, estive a ver e ler alguma postagens
    é um bom blog, daqueles que gostamos de visitar, e ficar mais um pouco.
    Eu também tenho um blog, Peregrino E servo, se desejar fazer uma visita
    Ficarei radiante se desejar fazer parte dos meus amigos virtuais, saiba que sempre retribuo seguido
    também o seu blog. Deixo os meus cumprimentos e saudações.
    Sou António Batalha.

    ResponderExcluir